Publicado por: Autor | 25/03/2009

Tudo que você podia ser …

“Com sol e chuva, você sonhava …”

Cleyde sempre falava do enorme amor que tinha por sua filha Gabriela e que esse amor é que lhe dava força para continuar o trabalho que desenvolvia. Esse amor foi transformado em solidariedade,  em energia para o combate  à  impunidade e  à  violência, em conversas e palestras onde falava sobre a importância de ser “cidadão”. Esse amor fez com que ela trocasse o “luto pela luta”.

Neste 25 de março de 2009 completou-se seis anos sem Gabriela. Familiares e amigos de Cleyde estiveram presentes na Igreja São Francisco Xavier, unidos em oração pelas queridas Gabriela e Cleyde. A cerimônia foi celebrada pelo Padre José Li.

Abaixo, palavras de Celyse Prado Maia, irmã da Cleyde:

“Agradeço a presença de verdadeiros amigos na missa que a própria Cleyde, com tanto esmero e no local de sempre, na Igreja de São Francisco Xavier, deixou marcada pela passagem dos 6 anos de falecimento da querida Gabi.
Comunicamos que esta foi a última missa formal marcada pela Família Prado Maia, em intenção
da querida Gabriela, visto que Cleyde era a mola-mestra de todos esses eventos e, principalmente, porque agora as duas estão, finalmente, juntas e EM PAZ !! Que descansem junto a Deus !!
Aqui apenas um pequeno registro, já que não estão na foto outros parentes e amigos que compareceram.

Um grande abraço,
Celyse Prado Maia

Celyse e Célio entre alguns dos amigos presentes à missa.
Celyse e Célio entre alguns dos amigos presentes à missa.

 

 

 

 

 

 


Da esquerda para à direita: Adriana, Leila, Mônica, Célio, Iolanda, Conteville, Celyse e Fátima.

 


NB: menção a música “Tudo que você podia ser” de Lô Borges e Márcio Borges.

Anúncios

Responses

  1. Onde elas estiverem, eu tenho certeza que estão muito felizes por todo este carinho que elas tem recebido de vocês.

    Ótima quinta pra ti.

    Bjim*

  2. Lendo essa postagem imediatamente lembrei-me de um texto que a Elis Regina lia na abertura de um show.
    Agora…elas são estrelas e com certeza estavam sorrindo para os amigos que reuniram-se para, em oração, emanar energias para duas pessoas especiais.

    “Agora o braço não é mais o braço erguido num grito de gol.

    Agora o braço é uma linha, um traço, um rastro espelhado e brilhante. E todas as figuras são assim: desenhos de luz, agrupamentos de pontos de partículas, um quadro de impulsos, um processamento de sinais.
    E assim – dizem – recontam a vida.
    Agora retiram de mim a cobertura da carne, escorrem todo o sangue, afinam os ossos em fios luminosos e aí estou, pelo salão, pelas casas, pelas cidades, parecida comigo.
    Um rascunho. Um forma nebulosa, feita de luz e sombra. Como uma estrela.
    Agora eu sou uma estrela!”
    Texto publicado na contracapa de “Trem Azul”, Elis Regina, 1982.

  3. Cleyde não era apenas a mola mestra dessas missas. Ela era o pilar sobre o qual se assentava toda a luta que se iniciou com ela. Cleyde tinha ÉTICA, tinha VERDADE e isso salta aos olhos de qualquer pessoa de caráter. Não há ninguém que consiga enganar a todos o tempo todo… Pode-se até enganar alguns por algum tempo. E assim mesmo apenas aqueles que se desejam deixar enganar, pois a VERDADE está aqui para quem tiver olhos e ouvidos para ouvir. Cleyde sofreu tanta coisa, tanta coisa, que só de relembrar dói o coraçao. E saber que ela sofreu muitas vezes calada, com DIGNIDADE. Sem nunca escrever algo sórdido do tipo “sei dar o troco em dobro”, por que no coração GRANDIOSO de Cleyde NÃO HAVIA ESPAÇO PARA PAGAR O MAL COM O MAL. Grandiosidade e dignidade que agora sua família demonstra, pois certamente eles sabem que pessoas ruins destróem a si mesmos, sabem que a maldade NUNCA VENCE NO FINAL. E se a sordidez ainda não foi derrotada, é por que o final ainda não chegou. A família Prado Maia tem MUITO do que se orgulhar, não pelas muitas MEDALHAS DE HONRA E MÉRITO seus familiares receberam, como o primo de Cleyde condecorado pela Marinha, e a própria Cleyde que possui a MAIOR HONRARIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, A MEDALHA TIRADENTES. Não !! essas medalhas não são certamente a maior honra dessa família. A MAIOR HONRA DA FAMÍLIA PRADO MAIA É A DIGNIDADE, O AMOR, A UNIÃO, OS VALORES RETOS E RAROS QUE POSSUEM. Valores estes sempre demonstrados a cada instante de vida de CLEYDE PRADO MAIA. Que agora repousa, eternamente, junto do Amoroso Deus, longe de toda maldade, de toda violência, longe da inveja, da mediocridade, da mesquinhez, da sordidez, da mentira, da crueldade, das ameaças de “troco em dobro”, das palavras ofensivas, do veneno destilado. Cleyde agora repousa no lugar que TODAS AS PESSOAS, E APENAS ESTAS, JUSTAS, DIGNAS E AMOROSAS SE ENCONTRARÃO UM DIA: NA PAZ DE DEUS !
    p.s. Eu queria ter a grandiosidade demonstrada por Cleyde que ultrapassou em silêncio toda a sordidez… mas eu ainda não tenho, e me lembro de “Cálice”: “Como é difícil
    Acordar calado (…) Quero lançar um grito desumano que é uma maneira de ser escutado”…
    Fica aqui me grito…

  4. Falar de Gabriela e de Cleyde é falar de luz ! Luz que ilumina os caminhos, que nos faz enxergar além.
    A expressão “tirar o chapéu” faz todo o sentido quando lembro de Cleyde. Ela tinha o dom de somar, de agregar, de envolver. Tinha o dom de transmitir luz !
    Saudades, muitas saudades …

  5. Impossível passar um só dia sem lembrar de Cleyde, de suas palavras, seu sorriso, seu carinho… impossível…

  6. Realmente Cleyde era muito especial, simples de um sorriso lindo e bondoso vivia cheia de pressa e um dia me comentou que no dia das mães sempre recebia uma cesta de café da manhã da filha Gabriella , então eu e as mulheres do Nucleo fizemos uma cesta com coisinhas gostosas e entregamos ao porteiro do predio para entrega-la e quando cheguei em casa ela ja tinha ligado umas duas vezes, essa era a cleyde simples demais ,carinhosa e solidaria. agora ela esta feliz com sua filhota para toda a eternidade.

  7. Lúcia, lindo esse teu comentário !!! Vc tb é um exemplo de guerreira do bem…

  8. Tocante!
    Acho que poucas vezes algumas palavras e imagens disseram tanto sobre o caráter realmente efêmero da vida no planeta Terra.
    Fica a certeza de que a vida encarnada de D. Cleyde valeu a pena de verdade.
    Que ela e sua querida filha estejam finalmente juntas outra vez e em paz.

  9. Amiga querida, guerreira incansável, que tomava conta de todos, que aliviava a dor dos que te procuravam… Soubeste doar-te inteira, mas esquceste de cuidar de ti. Não foi a tua prioridade. Quiseste partir, sem perceber que deixarias um imenso buraco negro vazio na mente e no coração de todos que te admiravam e foram teus amigos de verdade. Amiga é impossível conter as lágrimas. Que saudade!

  10. Sei que a dor, por mais que pareça apagada pelo tempo é apenas diminuida. Pelo corre corre do dia a dia, pelas outras dores, outros amores. Mas ela permanece lá, intacta! E se nos dermos um segundo sequer, afirmamos: PARECE QUE FOI ONTEM! É isso, parece que foi ontem que a dor doeu mais forte. Seguinte, estou desenvolvendo um trabalho (vídeo) sobre o tão explorado ” Violência contra a Mulher” quem puder me ajudar… mariacria@gmail.com Que elas estejam ao lado do Nosso Senhor Jesus Cristo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: